Newsletter
Subscreva a nossa newsletter

Conheça as novidades do digital, leia notícias relevantes para a sua empresa, aprenda estratégias que pode implementar na prática e conheça os projetos e case-studies Lendarius. Mantenha-se sempre informado de forma fácil e rápida.

    Li e concordo com a Politica de Privacidade da Ndigital.

    O que é um Encarregado de Proteção de Dados: 10 funções

    encarregado de proteção de dados

    A existência de um Encarregado de Proteção de Dados (EPD) ou Data Protection Officer (DPO) não é obrigatória, mas é recomendada em todas as organizações que tratem dados pessoais ou sensíveis. Este profissional está sujeito ao dever de sigilo e confidencialidade, bem como ao dever de incompatibilidade, ou seja, não pode exercer quaisquer funções e que resultem num conflito de interesses para o exercício das funções.

    Este profissional deve ter conhecimentos avançados de proteção de dados e ser capaz de cumprir as tarefas atribuídas no Artigo 39º, relacionadas com a segurança e proteção de dados. Neste artigo, vamos destacar algumas das suas funções.

    Funções de um Encarregados de Proteção de Dados

    O DPO tem a função de desenvolver procedimentos e protocolos internos para que as empresas tratem os dados pessoais de forma lícita. 

    • Sensibilização e informação a todos os que tratem dados pessoais;
    • Garantia do cumprimento das políticas de privacidade e proteção de dados;
    • Controlo do cumprimento do RGPD;
    • Identificação de atividades de tratamento de dados pessoais e garantia do seu registo;
    • Controlo e acompanhamento da produção da AIPD – Avaliação de Impacto sobre Proteção de Dados;
    • Avaliação da exposição aos riscos de violações de privacidade e identificar respetivas ações de melhoria; 
    • Gestão de formações de boas práticas para a proteção de dados;
    • Ser o ponto de contacto com as autoridades de controlo;
    • Seguimento às reclamações dos clientes, prestando esclarecimento e dando orientações internas de resolução e melhoria;
    • Interpretar normas e legislação.

    Um Encarregado de Proteção de Dados deve ter conhecimentos de tecnologia, gestão, e ainda, alguns conhecimentos legais.

    O Encarregado de Proteção de Dados precisa de ser formado em Direito?

    Não, basta que capacite um dos seus colaboradores com um cursos específico relacionado com o RGPD. Uma vez que este profissional também precisa de ter conhecimentos tecnológicos, poderá fazer sentido selecionar um colaborador que já seja especialista em TI.

    A Pontual é uma empresa que presta Apoio na Implementação de Processos no âmbito do Cumprimento do RGPD (Regime Geral Proteção de Dados). Destaca-se por dar formações, fazer diagnóstico (se necessário, presencial) e levantamento de necessidades, por apoiar na implementação e por dar sessões de sensibilização às equipas.

    Quer qualificar o Encarregado de Proteção de Dados para uma atuação mais assertiva? Conheça o serviço Consultoria RGPD da Pontual. 


    PUB
    Total
    0
    Shares
    Related Posts