Newsletter
Subscreva a nossa newsletter

Remarketing e Retargeting: O que são e como pôr em prática

Muitos anunciantes PPC usam os termos remarketing e retargeting alternadamente. No entanto, são duas estratégias diferentes e é importante entender a diferença se pretende usá-las de forma eficaz.

Embora tenham as suas semelhanças, o remarketing e o retargeting tradicionalmente usam canais diferentes e também têm objetivos totalmente diferentes. Analisemos então a diferença entre estas duas técnicas essenciais de marketing – para que possa obter melhores resultados com ambas.

Remarketing vs retargeting

De forma resumida, a diferença entre remarketing e retargeting é:

  • O remarketing usa, principalmente, o e-mail para reconquistar clientes que já fizeram negócio consigo.
  • O retargeting usa, principalmente, anúncios pagos para reconquistar o público que visitou o seu website ou redes sociais.

Em termos de objetivos de marketing, o retargeting tem como objetivo trazer os visitantes de volta ao seu site para que seja aumentada a probabilidade de acontecer uma conversão. Lembre-se de que a taxa média de conversão de PPC é inferior a 4%, enquanto as campanhas de melhor desempenho tendem a atingir um máximo de cerca de 9% de taxa de conversão.
É necessário termos em consideração que mais de 90% do tráfego pago não é convertido na primeira visita. O retargeting permite assim que esse tráfego volte ao website, efetue uma compra (ou pedido de contacto) e no fim maximize o seu retorno de investimento em PPC.
O remarketing é mais sobre como manter contacto com os seus clientes existentes para mantê-los envolvidos com a sua marca, incentivá-los a comprar mais e maximizar o valor gasto pelo cliente com a mesma.

Então, qual a confusão entre retargeting e remarketing?

Como os dois termos são usados muitas vezes para expressar a mesma ideia, alguma confusão acaba por ser criada, contudo vamos clarificar ambos os conceitos.
Vejamos a descrição da Google sobre remarketing:
“O remarketing é uma funcionalidade que lhe permite personalizar a campanha de anúncios de visualização para pessoas que visitaram anteriormente o seu site e adaptar os lances e os anúncios (através do remarketing dinâmico) a esses visitantes quando navegam na Web e utilizam aplicações.”

Ao ler a explicação de remarketing dinâmico, ela diz: “[mostrar] anúncios (através do remarketing dinâmico) a esses visitantes quando navegam na Web e utilizam aplicações.”, o que se parece exatamente com a definição de retargeting que vimos anteriormente.
Se seguir a documentação da Google, esta dá-nos a entender que remarketing e retargeting são basicamente a mesma coisa. Afinal, a Google descreve o retargeting e chama-o de remarketing, o que sugere um uso das duas palavras diferentes para descrever a mesma coisa. E assim se cria a confusão entre os dois termos.

Portanto, o remarketing no Google Ads é uma combinação de recursos de retargeting e remarketing.
O ponto principal é que, embora possa argumentar que – no mundo do marketing de hoje – o retargeting é uma forma de remarketing, eles não são bem a mesma coisa.

Mas esta distinção importa porquê?

A distinção entre remarketing e retargeting pode parecer irrelevante, mas não se trata de usar a terminologia correta. O mais importante é entender a diferença que existe entre os dois. Conforme mencionado anteriormente, essas estratégias geralmente usam canais diferentes e, mais importante, têm objetivos diferentes, que é importante saber quando criamos estratégias.

Embora a linha entre eles tenha desaparecido e grandes nomes como Google agora os agrupem numa categoria mais ampla – saber quando, porquê e como usar essas duas estratégias diferentes irá ajudá-lo a atingir os seus objetivos com mais eficácia (e menos custos).

É um pouco como perceber a diferença entre SEO e marketing de conteúdo, mesmo que os dois estejam tão intimamente ligados e que sejam impossíveis de separar.


PUB
Total
0
Shares
Artigos relacionados